Publicado em

Como ser um Padrinho/Madrinha?

Olá aumigos, tudo bem com vocês? Hoje estamos aqui para falar um pouquinho sobre o apadrinhamento dos nossos resgatados.

Como vocês sabem a Pet Foundation tem por missão auxiliar, amparar, tratar animais paralisados e dar apoio os seus tutores.

Realizamos resgates de bulldogs ingleses, bulldogs franceses e pugs em estado de paralisia. E, por conta disso, talvez vocês se questionem: mas porque somente dessas raças?

A explicação é simples. Essas raças estão mais propensas a sofrer lesões na coluna. Há um estudo que indica que, aproximadamente, 99% dos bulldogs franceses tem propensão a sofrer esse tipo de lesão ao longo da vida.

Assim, por terem se tornado “raças da moda” muitos tutores adquirem os animais sem nenhum tipo de conhecimento sobre eles e quando surge esse tipo de intercorrência simplesmente os abandona.

Pois bem. Após o resgate desses animais, realizamos todos os tratamentos necessários, enchemos de muito amor, carinho e respeito e, posteriormente, os disponibilizamos para adoção.

Já realizamos duas lindas adoções de resgatados: o gorducho Léo (bulldog inglês – nosso primeiro resgate) que está recebendo muito amor da sua nova mamãe Vivi, e a nossa lady Carmela (bulldog francês) que está reaprendendo o que é ter uma família, ao lado da sua nova mamãe Ana Carolina.

Infelizmente, já perdemos um de nossos anjos, em decorrência de um câncer, o nosso sempre amado e lembrado Bartô.

Atualmente, estamos tratando de 3 bulls franceses: a Amora (que já está para adoção), o Jake (que está em busca de um LT) e o Thor (que está em tratamento).

Após essa breve explicação, voltemos ao assunto principal dessa conversa, que é o apadrinhamento.

Os nossos resgates (e resgatados) geram uma despesa mensal fixa para a Pet Foundation (para cuidar dessas fofuras precisamos arcar com custo de medicamentos, consultas veterinárias, cirurgias, exames, fraldas, tapetes higiênicos, lenços umedecidos, etc.).

Todas essas despesas são suportadas através de doações voluntárias e rifas.

Um dos instrumentos que criamos para auxiliar com esses gastos mensais é o apadrinhamento.

Por meio dele todos podem colaborar, mensalmente, com as despesas dos nossos resgatados.

Lembrando, sempre, que a colaboração é voluntária. Se em um determinado mês as contas apertarem e, por algum motivo, você não puder doar, deixaremos para o mês seguinte, combinado?
Tornando-se padrinho/madrinha você pode realizar doações financeiras ou em produtos para nos ajudar a manter essa linda chama de amor e compaixão acesa.

Além disso, você vai receber na sua casa, como forma de agradecimento, uma linda carteirinha de padrinho/madrinha da Pet Foundation, chique né, rs?

Então se você se interessou e quer fazer parte dessa missão, entre em contato conosco através de um dos nossos canais (Facebook, Instagram ou do Blog) que retornaremos para inscrevê-los e esclarecer eventuais dúvidas.

Muito obrigada por todo apoio e confiança!

Família Pet Foundation

 

 

6 comentários sobre “Como ser um Padrinho/Madrinha?

  1. Quero ser madrinha

  2. Vocês têm um valor mínimo para as doações mensais ? Ou sugestões

    1. Oi Roseli,

      Ficamos felizes que você venha fazer parte da nossa Missão.
      Não existe valor mínimo, vc deposita o valor mensal que quiser e puder.

      Gratidão por sua generosidade e lambeijos de todos da Pet Foundation.

      Família Pet Foundation

  3. Boa noite!
    Eu quero ser madrinha,mas moro no Paraná…então faria a doação em dinheiro.
    O que tenho que fazer?

    1. Oi Mayte,

      Ficamos felizes que você venha fazer parte da nossa Missão.
      Por favor, envie um e-mail com seu nome completo e celular para: contato@petfoundation.pet

      Gratidão por sua generosidade e lambeijos de todos da Pet Foundation.

      Família Pet Foundation

  4. Quero ser madrinha!
    Moro no Paraná,então seria doação em dinheiro.
    Como faço?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *